Utilizamos cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você concorda e aceita nossa Política de Privacidade.

Se preferir, informe quais cookies você permite utilizarmos clicando aqui.

Política de Cookies

Cookies são arquivos que auxiliam no reconhecimento do seu acesso ao site. Para personalizar e melhorar sua experiência, sugerir conteúdos de acordo com seu perfil, e facilitando a navegação de forma segura. Abaixo, temos a descrição de quais são os tipos de Cookies que usamos . Caso tenha dúvidas, acesse a nossa Política de Privacidade.

Tipos de Cookies que usamos

Essenciais

Estes cookies são imprescindíveis para a operação do site. A opção de usá-los vem selecionada por padrão, pois sem eles, a navegação fica comprometida e você não consegue aproveitar algumas funcionalidades básicas que o nosso site oferece.

Escola Aberta do Terceiro Setor

Cursos

Notícias

Link copiado para área de transferência

Para fazer essa ação você precisar estar logado na plataforma.

O profissional que atua como um Microempreendedor Individual (MEI) possui diversos benefícios no que diz respeito a questões tributárias. Ele fica isento dos principais impostos federais exigidos das grandes empresas e suas dívidas são cobradas de forma única. Entretanto, ele ainda precisa arcar com algumas obrigações específicas de seu modelo de negócio.

Surge então a dúvida se esse tipo de empreendedor deve ou não declarar o famoso imposto de renda de pessoa física (IRPF). Isso porque o governo já exige do MEI a declaração anual do simples nacional, um registro com indicações de seu faturamento anual.

De certo modo, essa documentação funcionaria como um “imposto de renda” para o microempreendedor. Porém, há casos em que esse profissional precisará de fato fazer a declaração exigida pela Receita Federal.

Quando o MEI precisa preencher o imposto de renda

O fato é que a obrigatoriedade do preenchimento do imposto de renda para o MEI continua sendo a mesma que para outros profissionais. Isso significa que, caso o trabalhador tenha recebido rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 a declaração se faz necessária.

Além disso, se a pessoa tiver adquirido bens com um valor avaliado acima de R$ 300 mil, ele também deve informar seus ganhos em tal documento.

Ao preencher o IRPF, o CNPJ do MEI deve ser informado na área intitulada como “Bens e Direitos”. Nesse mesmo segmento da documentação, são preenchidos os rendimentos tributáveis para a pessoa jurídica e aqueles que são isentos de tributação.

O MEI deve contratar um contador?

Dependendo de suas necessidades tributárias e de sua dificuldade em preencher o IRPF, alguns microempreendedores podem sentir-se mais confortáveis em procurar um contador para ajudá-los. De fato, essa é uma forma de assegurar que seus negócios se mantenham em conformidade com a Receita Federal.

Contudo, essa não é uma obrigatoriedade e alguns profissionais conseguem preencher tal declaração por conta própria. Quem faz isso geralmente possui conhecimento sobre os trâmites tributários atuais.

Uma forma de adquirir tal competência é com cursos livres como a qualificação de Auxiliar Contábil da e-Hive. Trata-se de um curso que fornece entendimento técnico essencial para qualquer profissional que busque ter maior controle sobre a saúde financeira de sua empresa e seus deveres econômicos.